Jogo Educativo

Jogo Educativo

Plano de Emergência

Plano de Emergência

http://defesacivil.rj.gov.br//index.php/boletim-do-tempo

Condições Climáticas

Previsão do Tempo

Ensino

Rede Salvar

Rede Salvar

Publicações

Biblioteca Virtual

VÍDEOS DA SEDEC

Notícias da SEDEC

Iniciativa faz parte do calendário da Semana Estadual de Redução de Riscos de Desastres

Meta é chegar a um milhão de CEPs inscritos ainda este ano

Medalha Coronel Bombeiro Militar José Halfeld Filho é concedida pela primeira vez a 55 personalidades

 O que é? 

É a propagação do fogo, em áreas florestais e de savana (cerrados e caatingas), normalmente ocorre com freqüência e intensidade nos períodos de estiagem e está intrinsecamente relacionada com a redução da umidade ambiental. 

Os incêndios podem iniciar-se de forma espontânea ou ser conseqüência de ações e/ou omissões humanas, mas mesmo nesse último caso, os fatores climatológicos e ambientais são decisivos para incrementá-los, facilitando sua propagação e dificultando seu controle. 

Os incêndios florestais podem ser causados por: 

causas naturais, como raios, reações fermentativas exotérmicas, concentração de raios solares por pedaços de quartzo ou cacos de vidros em forma de lente e outras causas;

imprudência e descuido de caçadores, mateiros ou pescadores, através da propagação de pequenas fogueiras, feitas em acampamentos;

fagulhas provenientes de locomotivas ou de outras maquinas automotoras, consumidoras de carvão ou lenha;

perda de controle de queimadas, realizadas para “limpeza” de compôs;

incendiários e/ou piromaníacos. 

Danos 

Os incêndios florestais causam danos materiais, ambientais e humanos. 

Os danos materiais são: 

destruição das árvores em fase de crescimento ou em fase de utilização comercial, reduzindo a produção de madeira, celulose, essências florestais e outros insumos;

redução da fertilidade do solo, como conseqüência da destruição da matéria orgânica reciclável obrigando a um maior consumo de fertilizantes;

redução da resistência das árvores ao ataque de pragas, obrigando a um maior consumo de praguicidas. 

Os danos ambientais são: 

redução da biodiversidade;

alterações drásticas dos biótopos, reduzindo as possibilidades de desenvolvimento equilibrado da fauna silvestre;

facilitação dos processos erosivos;

redução da proteção dos olhos d’água e nascentes. 

Os danos humanos são:

perdas humanas e traumatismos provocados pelo fogo ou por contusões;

desabrigados e desalojados;

redução das oportunidades de trabalho relacionada com o manejo florestal. 

Perguntas freqüentes 

1 - Posso fazer uma queimada em meu pasto? 

Sempre consulte a secretaria estadual ou municipal do meio ambiente antes de fazer queimada, pois você poderá está cometendo crime ambiental. 

2 - O que eu posso fazer para evitar um incêndio florestal? 

Construção de aceiros, que devem ser mantidos limpos e sem materiais combustíveis;

Construção de faixas limpas e sem materiais combustíveis;

Plantação de cortinas de segurança com vegetação menos inflamável;

Construção de barragens de água que atuem como obstáculos à propagação do fogo e como reserva de água para o combate ao incêndio;

Construção de estradas vicinais, no interior de florestas, facilita a fiscalização e favorece o carreamento dos meios de controlar os incêndios;

Utilização de medidas de vigilância: fixa, por meio de torres de observação; ou móvel, por meio de patrulhamento terrestre ou aéreo. O CPTEC (www.cptec.inpe.br) identifica focos de incêndios por satélite;

Aviso imediato, em caso de incêndio florestal, ao Corpo de Bombeiros, Defesa Civil ou Polícia;

Seguir as instruções dos bombeiros ou Defesa Civil. 

3 - O que não fazer? 

Nunca tente combater um incêndio sozinho.

Estrutura da Defesa Civil

Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro

Escola de Defesa Civil

Departamento Geral de Defesa Civil

Centro Estadual de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais

Subsecretaria de Estado de Defesa Civil

Superintendência Operacional

Assessoria de Informática

Instituto Científico e Tecnológico de Defesa Civil

Centro Estadual de Gerenciamento de Emergência Nuclear

Centro Estadual de Administração de Desastres

Superintendência Administrativa da Secretaria de Estado da Defesa Civil

Assessoria Jurídica

Centro de Coordenação e Controle de Emergência Nuclear

Departamento Geral de Administração e Finanças

Posto Central de Ajuda Humanitária

Coordenadoria de Recebimento e Distribuição

Ouvidoria Geral SEDEC / CBMERJ

Coordenação Especial de Ações do Meio Ambiente

Assessoria de Comunicação Social

Centro de Estudos e Pesquisas de Defesa Civil

Assessoria de Controle Interno

© 2018 Defesa Civil - Rio de Janeiro. ASSINFO