Organograma SUOP


É da competência do Sistema Estadual de Defesa Civil (SIEDEC-RJ) o desencadeamento de todas as ações e atividades de Defesa Civil, cujo objetivo principal é redução de desastres, nas suas mais variadas formas, contemplando desde o planejamento de ações que possam promover a segurança global das populações em conjunto com os Municípios, até o assessoramento técnico ao Chefe do Poder Executivo Estadual, no estabelecimento de critérios técnicos a fim de minimizar possíveis danos e prejuízos resultantes de desastres, conforme previsto no Decreto Estadual n.º 43.017, de 09 de Junho de 2011.

Segundo estudos, no último século os desastres naturais produziram danos bem superiores aos provocados pelas guerras. Dos desastres naturais listados pela Organização Meteorológica Mundial (WMO), 70% são de natureza e/ou consequência meteorológica.

No Brasil, a prevalência de eventos adversos relacionados ao tempo e ao clima (furacões, secas, deslizamentos e inundações) tem aumentado a cada década, daí a necessidade de implementar as ações de resposta do Sistema Nacional de Defesa Civil (SINDEC), assim como, a integração do Sistema Estadual de Defesa Civil (SIEDEC). A preocupação com o bem-estar social e com a segurança da população torna-se preponderante, e as atividades de estudos e pesquisas relativas à redução dos desastres crescem consideravelmente.


Regimento Interno da SUOP (clique aqui para acessar o conteúdo integral)

CAPÍTULO I

Da Estrutura Organizacional da Superintendência Operacional (SuOp) e de seus Órgãos Subordinados

Art. 1°. A SuOp, criada pelo Decreto n° 43.022, de 04 de março de 2011, alterada pelos Decretos nº 43.200, de 15 de setembro de 2011, nº 43.453, de 06 de fevereiro de 2012, nº 43.611 e nº 43.612, ambos de 23 de maio de 2012 e finalmente o de nº 43.675, de 16 de julho de 2012 é uma estrutura orgânica subordinada à Subsecretaria de Estado de Defesa Civil (SubSEDEC), destinada a superintender as demais unidades de defesa civil subordinadas, em especial no tocante as incumbências de cunho operacional, no âmbito da Secretaria de Estado de Defesa Civil do Estado do Rio de Janeiro (SEDEC).


Art. 3º. A SuOp tem como órgãos subordinados:

I – Departamento Geral de Defesa Civil (DGDEC), com a seguinte estrutura organizacional:

  • Centros de Monitoramento e Gestão de Emergências:
  • a) Centro Estadual de Administração de Desastres / Centro Estadual de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais do Rio de Janeiro (CEstAD/CeMADeN-RJ/SIMERJ).
  • b) Centro Estadual de Gerenciamento de Emergência Nuclear (CEstGEN);
  • c) Centro de Coordenação e Controle de Emergência Nuclear (CCCEN), localizado em Angra dos Reis.

II – Escola de Defesa Civil (EsDeC), que tem a seguinte estrutura organizacional

III – Coordenação do Serviço de Recolhimento de Cadáveres (CSRC), que tem a seguinte estrutura organizacional.


Art. 2°. A SuOp possui a seguinte estrutura organizacional

I. 1 – Órgão de Direção:

  • a) Gabinete do Superintendente (GabSup):
  • a.1) Secretaria Executiva (SecEx)

I. 2 – Órgãos de Assessoramento:

  • a) Assessoria de Comunicação Social (ACS)
  • b) Assessoria Especial (AEsp)

I. 3 – Órgãos de Gestão:

  • a) Gerência Operacional (GerOp):
  • a.1) Seção de Controle Operacional (SCOp).
  • b) Gerência Administrativa (GerAd):
  • b.1) Seção Administrativa (SAd):
  • b.1.1) Subseção de Serviços Gerais, Protocolo e Arquivo (SsSGPA)
  • b.1.2) Subseção de Manutenção, Transporte e Logística (SsMTLog)
  • b.1.3) Subseção de Bens Patrimoniais (SsBPat)
  • c) Gerência Técnica de Projetos (GerTecProj):
  • c.1) Seção de Informática (SInf)
  • c.2) Seção de Projetos (SProj)
  • d) Gerência de Planejamento e Controle (GerPC):
  • d.1) Seção de Controle de Prevenção a Desastres (SCPD)

Art. 4º. A SuOp tem as seguintes atribuições:

  • I – Planejar, programar e supervisionar as ações de proteção e defesa civil no Estado do Rio de Janeiro;
  • II – Elaborar e desenvolver programas e projetos relacionados à proteção e defesa civil;
  • III – Supervisionar e controlar a atuação de seus órgãos subordinados no período de normalidade, na iminência e em situação de desastres;
  • IV – Assessorar o Secretário e o Subsecretário de Estado de Defesa Civil nos processos administrativos concernentes às declarações de situação de emergência e de estado de calamidade pública, supervisionando o trabalho de seus órgãos subordinados envolvidos com esta atividade;
  • V – Coordenar e articular as ações dos diversos órgãos relacionados à proteção e defesa civil, visando a pronta atuação, em sintonia com as diretrizes do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil (SiNPDeC);
  • VI – Assessorar o Secretário e o Subsecretário de Estado de Defesa Civil quanto ao desempenho das suas atividades operacionais, excetuadas as de aconselhamento jurídico.
© 2017 Defesa Civil - Rio de Janeiro. Desenvolvido pela Assinfo.